Missão

Segundo DEMA, 1987, a palavra museu originou-se do termo grego Museion, templo das musas. Os latinos denominavamMuseum ao gabinete ou sala de trabalho dos homens de letras e ciências. Ptolomeu I, soberano do Egito, deu esse nome à parte do seu palácio, em Alexandria, onde se reuniam os sábios e filósofos mais célebres do seu tempo. Foi esse o primeiro estabelecimento cultural que recebeu o título de Museu. Segundo este mesmo manual, o Conselho Internacional de Museus o define como toda instituição permanente, sem fins lucrativos, aberta ao público, que adquire, conserva pesquisa e expõe coleções de objetos de caráter cultural ou científico para fins de estudo, educação e entretenimento.

A qualidade de vida e a saúde do ser humano estão direta e profundamente relacionadas com o nível de formação e informação dos indivíduos. É sabido, e amplamente citado nos estudos e pesquisas que envolvem educação, o quanto as diferenças sociais propiciam a segregação intelectual, ficando de um lado uma minoria com acesso pleno aos benefícios do mundo moderno, incluindo saúde, formação educacional, avanços tecnológicos e científicos e formação profissional de alto nível; e, de outro lado, uma maioria que vive a reboque daquele grupo minoritário, tornando-se refém de uma educação insuficiente para os dias atuais.

Sabemos o quão importante são as ações educativas de largo espectro, aquelas que atingem uma ampla parcela da população, na formação e informação das pessoas, na difusão do conhecimento científico, na estimulação da curiosidade e do aprendizado acerca do mundo, na geração de novas perspectivas de vida para os indivíduos, descobrindo e despertando vocações, proporcionando a consciência de cidadania, além de causar efeitos importantes e diretos na melhoria dos índices de qualidade de vida e inclusão social.

No que se refere ao corpo e mente humana, acreditamos ser este um conteúdo fundamental quando se deseja qualidade de vida e saúde. Assim, partimos da premissa de que precisamos conhecer nosso próprio corpo para que possamos viver mais e melhor.

Compreender o corpo humano requer conhecimento da origem do homem, sua estrutura celular, histológica, anatômica e funcional, incluindo aspectos psicológicos, patológicos, históricos e sociais. Mais do que conhecer a organização estrutural, é importante que o cidadão comum tenha uma boa idéia do corpo humano e de suas principais partes num contexto amplo e funcional que se aplica em sua vida cotidiana.

Deste modo, poderemos aprender sobre como cuidar de nosso corpo, evitando doenças e maus tratos, promovendo o bem estar e alcançando uma contínua melhoria das condições de vida.

Portanto, a nossa missão é propiciar a todos os cidadãos, principalmente aos jovens estudantes, a oportunidade de sonhar com perspectivas melhores para sua vida. Para isso, o espaço do Museu de Anatomia da UFES cria um espaço democrático para todos, incluindo portadores de necessidades especiais, promovendo a difusão e popularização das ciências, e a saúde e inclusão social através do conhecimento científico, desmistificando e despreconceitualizando o estudo do corpo humano e, acima de tudo, exercendo a cidadania.

 

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910